segunda-feira, dezembro 08, 2008

POR QUE O SÃO PAULO É DIFERENTE?

Certamente existem dezenas de teses para definir ou tentar explicar a supremacia do São Paulo no futebol brasileiro. Permito-me apresentar a minha.
Acredito que alguns pontos explicam a hegemonia. Vou listá-los abaixo.

1 - O São Paulo prioriza a competência humana na gestão do futebol. Banca o profissional mais competente nas áreas de apoio e permite ao treinador ficar com a cabeça voltada apenas para o que ele deve fazer: treinar o time. Mais que a estrutura física, é o pensamento voltado para a excelência que faz do São Paulo um time, hoje, diferente. Porque a estrutura física era ótima entre 95 e 2004, e o time ficou dez anos sem chegar à Libertadores, por exemplo. E hoje há estruturas físicas até mais completas, como a do Cruzeiro.

2 - O clube conseguiu blindar o futebol da questão política com muito sucesso. Há oposição, há cornetagem, denúncias, escândalos, mas todos estão unidos em um aspecto: todos querem ver o time campeão. Não há gente que torce pela derrota do time, como acontece em outros clubes.

3- Há uma mistura interessante entre modernidade e passado no clube. O sistema de gestão do futebol profissional é moderno, mas existe a figura do poderoso-chefão, do presidente manda-chuva, como era no passado, o cartolão. Isso apressa algumas tomadas de decisão e evita que a vaidade entre cartolas menores em busca de holofote atrapalhe o dia-a-dia.

4 - O presidente do clube gosta e entende de futebol. Isso é fudamental. Assim como o caso do Internacional. Quem cuida do futebol gosta de ver futebol, de ir ao futebol, de falar sobre futebol. Na hora de peitar um treinador mais saidinho, isso faz a diferença.

5 - O São Paulo nunca se descuida nos bastidores, o que é importante num futebol como o brasileiro.

6 - O marketing do São Paulo é excelente, consegue a proeza - o que em termos de marketing é fundamental - de cravar "verdades" que não são verdadeiras. Por exemplo: o Corinthians e o Flamengo, historicamente, revelaram mais jogadores que o São Paulo, que é quem tem a fama de ser o grande revelador de jogadores. Fora isso, explora muito bem a questão de camisas especiais, de datas históricas etc.

7 - Idéias arejadas. A versão atual do São Paulo, que é dos anos 30, é a mais jovem entre os grandes times brasileiros, o que possibilita o acesso de novas idéias de uma maneira mais rápida e eficiente. O que atrai torcedores mais jovens.

8 - A revitalização financeira do Morumbi. O estádio chegou a ser um elefante branco, que não gerava a receita que o clube esperava. A construção de camarotes, lojas e restaurantes fez com que o estádio gerasse receita mesmo quando não estivesse lotado ou cedido para shows.

9 - Ídolo. Rogério Ceni é fundamental para a identificação dos jogadores e dos torcedores com o clube. Seguramente, é o jogador mais importante da história do São Paulo.

10 - Sorte. Não adianta fugir disso.Todo grande time em grande fase, tem uma boa dose de sorte. Aliada à competência, forma uma dupla imbatível.

11 comentários:

Guillermo disse...

Se esse time é tão lindo e maravilhoso, como ele conseguiu ficar apenas 3 pontos à frente do vice-campeão que não possui metade desse todo poder?

Não precisa responder Noriega. A verdade sabemos qual é...

DÁ-LHE GRÊMIO!!!

Nori disse...

Prezado Guillermo, qual é a verdade? Cada um tem a sua. Esse texto nunca atacou o Grêmio, apenas faz uma constatação. Se em 37 anos de disputa o São Paulo ganhou 6 vezes é porque algum mérito tem. Assim como o Grêmio tem os seus, e todos os times têm. Apenas fiz uma análise.
Abs

Fernando Cesarotti disse...

Nori, concordo com quase toda sua análise, mas confesso que esse item 5 me incomoda pacas. O que é não se descuidar nos bastidores? É criar agenda positiva na imprensa, pressionar árbitros, criticas as diretorias rivais, um pouco de tudo isso? O quanto isso acaba não atravessando os limites da moralidade e da legalidade? Digo isso porque vejo muitos palmeirenses reclamando que "a diretoria é omissa", mas o que é ser proativo nesse caso?

Nori disse...

Caro Cesarotti, o item cinco eu vejo assim: a atuação da diretoria do São Paulo no caso da escolha do local do jogo contra o Goiás. Sempre ativa, defendendo o interesse do clube, o que pode não ser o mais correto numa visão global, mas a atuação é sempre constante. Foi isso que quis dizer.

Anônimo disse...

É o clube mais organizado do Brasil... Agora tem o Inter chegando junto...
Creio que a tendência são esses dois clubes dominarem o cenário nacional...
Os demais clubes farão boas parcerias, teram bons times por 2 ou 3 temporadas e nada mais do que isso...
Pena o Flamengo, com um super potencial, estar tão distante destas equipes...
Um abraço, nori...

Anônimo disse...

Essa é simples...
Em terra de cegos quem tem um olho é rei...

Anônimo disse...

Bem Nori está na cara de qualquer pessoa o por quê do São Paulo ser o maior clube brasileiro, maior ganhador de títulos mesmo sendo mais novo que os demais...O time foi campeão com o Leão, Paulo Autuori e Muricy, ou seja, não têm como não reconhecer a competência da atual diretoria tricolor(que dá sequencia a brilhante administração de Marcelo Portugal). O clube simplesmente fecha os melhores patrocínios, vende melhor seus jogadores, têm um estádio praticamente confirmado na Copa 2014, ganha praticamente tudo a 4 anos,tem o centro de treinamentos de cotia e da barra funda(referências no Brasil e no mundo) isso sem nenhuma parceria com empresas do tipo Traffic, MSI, ISL, Parmalat...Ou seja, os cardeais tricolores conseguem manter o clube forte com seus próprios esforços sem precisar recorrer a empresas que em geral quebram no decorrer da "parceria". Claro que a qualidade dos profissionais que ali trabalham pesa, desde jogadores até roupeiro, mas só se mantem esta estrutura tendo pessoas competentes no comando do clube. Parabéns a todos aqueles que fizeram do São Paulo Futebol Clube o maior do Brasil, mesmo sendo o caçula!!!
Saudações tricolores!!
Rumo ao 7-4-4!!!

Nori disse...

Prezado anônimo do 7-4-4, obrigado pela visita. Vc tem razão em boa parte do que escreve, mas tente ver sem os olhos de tanta paixão. O São Paulo também erra - e muito. Lembre-se da época do Pimenta. O São Paulo não faz parceria com empresas, mas atou junto de muitos empresários em determinadas épocas, como Todé, Figger etc. Tem defeitos como todos os grandes times. A diferença é que explora melhor as virtudes. Na verdade, não vejo nada de moderno no modelo tricolor paulista. Tem um xerifão que manda, o Juvenal. E o faz com absoluta competência. Mas lembremos que o São Paulo errou demais em 2008 e foi salvo pela competência da comissão técnica, dos jogadores e pela incompetência dos concorrentes. Talvez por isso, mesmo campeão, tenha fechado o ano com 12 milhões no vermelho.
Abs

Fábio disse...

Acho que o Noriega repetiu vários lugares-comuns sobre o São Paulo, porque também ele é alvo da técnica de "propaganda subliminar", muito empregada pelos países da cortina-de-ferro: à força de repetição, as pessoas acabam... acreditando na propaganda! Vejam só! Isto gera uma psicologia de massa que faz com que certas "verdades" acabem se concretizando. Tipo: "Se deixarem o SPFC chegar...ele vem para ser campeão." E funciona! Os próprios adversários entram em campo impactados pela pressão psicológica que a mídia exerceu, e acabam perdendo o jogo mesmo! Sem falar que os próprios jogadores do SPFC entram em campo com a psicologia alterada, um certo "complexo de superioridade" que os faz superar suas evidentes limitações (vejam os casos dos medianíssimos Dagoberto, Borges, Hugo etc.) Afirmo com toda certeza que a própria arbitragem entra pressionada (inconscientemente, até) para evitar a todo custo prejudicar o SPFC... e de fato, ele se torna o menos prejudicado pelos árbitros e tribunais.

E isto se torna uma bola de neve, o time ganha, a imprensa reverbera (p.ex., este post repleto de lugares-comuns do Noriega, que vc encontra em textos de outros jornalistas quase com as mesmas palavras, como se fossem apostilas de História de cursinhos para vestibular).

O SPFC se aproveita deste ciclo quase que passivamente, sem ter que fazer muita força. O clube ERROU MUITO, começou o campeonato brasileiro com um elenco médio e reduzido, contratou errado (André Lima e outros que tais...) e mesmo assim foi campeão, com muita ajuda da maré. Que se move em sentido contrário para outros clubes, como o próprio Grêmio, o Flamengo e o Palmeiras, que têm uma péssima imagem junto à imprensa. (Frequentemente a mídia trata estes clubes com desdém, e isto faz parte do enaltecimento ao SPFC -- para realçá-lo, é mister rebaixar a vizinhança, isto é um movimento natural da expressão do pensamento.)

O único modo de rebalancear o jogo de forças no estado atual é aparecer um time MUITO SUPERIOR ao SPFC, tal como o Palmeiras de 93 em diante naquela época do super-time de Telê. Mas isto hoje é muito mais difícil, os times andam muito nivelados, e talvez tenhamos que permanecer presos nesta paralisia psicológica de endeusamento do SPFC, sem fundamento na realidade, por um bom tempo ainda.

Terminando, pode-se tranquilamente dissecar um a um todos os pontos que o Noriega levantou para "explicar" por que o SPFC é "diferente", mas serei taxado de invejoso, quando na verdade eu apenas gosto de estudar os argumentos e suas conexões com a realidade social.

Luiz Roberto disse...

Caro Nori, parabéns pelo blog.
sobre o SP:
- Ele faz gols como todos os outros, só que mais.
- Ele toma gols como todos os outros, só que menos.
- Ele contrata jogadores como todos os outros. Alguns dão certo, só que mais. E alguns dão errado, só que menos.

Resumindo (pra não encher muito o saco), o S.Paulo é assim a 73 anos:
- Tem períodos de vacas gordas como todos os outros, só que maior. E períodos de vacas magras como todos os outros, só que menores.

A isso se dá o nome de futebol. Em qualquer bairro aqui de São Paulo vc vai encontrar histórias semelhantes, muitos grupos de meninos, rapazes, homens, escolas, clubes, se reunem e montam times de futebol. E, sem muita explicação, alguns vencem mais que outros por mais parecidos que eles se comportem. Dentro e fora de campo.

É assim. No futebol, na nossa
profissão (qualquer uma), na minha casa,na sua, na dde qualquer um. A estrutura é a mesma, a orientação é a mesma, as ferramentas são as mesmas. O resultado do trabalho será diferente pra cada um.

Mistério? Não. Destino? Também não.
Mágica? Nem pensar.

É só um jogo de bola, que só é maravilhoso como é, porque é assim: - um espelho exato do que acontece nossa vida.

Um abraço,

Loy

ronan disse...

Engraçado, o SPFC é Hexa mas é "igual aos outros". Vcs jornalistas exaltam sem querer assumir os elogios, é engraçado. Batemos a hegemonia do Flamengo, e se faz questão de dizer que o SPFC é igual aos outros de forma genérica. Só os "outros" é que jogam com raça única, com paixão única, com vitórias únicas. E o Hexa ùnico é Tricolor... Na verdade vcs não aceitam bem o sucesso de um clube no qual vence por méritos e não num gol salvador de mata-mata. O futebol ilógico vem se tornando lógico pelas qualidades que o Tricolor "trabalha" (e não ocorre por acaso com vcs gostam de dizer) e mesmo assim querem desmerecer tais méritos. Ganhou o Hexa, mas é igual aos outros. Quem dera a serie B fosse igual a séria A, né!?