quarta-feira, novembro 09, 2005

A vergonha das
concessionárias de
serviços públicos

Enfrentei alguns problemas com os serviços oferecidos pela Comgás. A conta relativa ao mês de setembro foi aferida em 27 m3 de consumo e R$ 69,78. Abaixo da média que consumimos. A conta referente ao mês de outubro foi aferida com o consumo de 114 m3 e R$ 336,27, valor que considerei absurdo. Entrei em contato com a companhia no dia 23 de outubro. No dia 25 um técnico veio até a minha residência e verificou que não havia problemas de vazamento. Fiquei aguardando um contato prometido pela Comgás, o qual só ocorreu depois de sucessivos telefonemas de minha parte, no início de novembro. Foi-me informado por uam funcionária da empresa que estava sendo feita a verificação pelo departamento competente. No dia 7 de novembro me ofereceram a solução (??) do problema. A Comgás havia errado na leitura do mês de setembro e, por isso, a conta de outubro estava tão alta, para compensar o erro de leitura para menos feito em setembro.
Argumentei que parecia interessante apenas para a empresa que o erro de leitura tivesse ocorrido para baixo. Por quê não poderia ter ocorrido o erro de leitura para mais? Claro que a empresa argumentou que para ela só poderia haver o erro para baixo, em virtude da média de consumo etc.
Aí veio o absurdo maior. A empresa oferece, toda gentil, que eu parcele a diferença em 3 vezes sem juros. Afirma, ainda, que parcelamento maior, apenas cobrando juros. Sensacional!!!!! A Comgás erra e ao reparar seu erro embute possibilidade de cobrança de juros. O que virou essa concessionária de serviços públicos? Um banco? Uma factoring? Para tentar reparar um erro a empresa precisa ganhar dinheiro com juros?
Entendo que, em meu direito, eu poderia escolher o parcelamento em quantas vezes eu entendesse. Afinal, quem cobrou errado, quem foi incompetente, foi a Comgás, que cometeu equívocos desde a leitura até a demora para oferecer uma reparação ou solução ao caso.
Felizmente, cancelei o débito automático da minha conta de gás. Se não o fizesse, a Comgás poderia continuar errando seguidamente na leitura e tungando o consumidor sem que esse tenha direito a defesa própria ou atendimento correto por parte de uma CONCESSIONÁRIA DE SERVIÇOS PÚBLICOS.
Que pelo menos sirva de alerta para outros consumidores que passarão, com certeza, por problemas como esse.

2 comentários:

_rb disse...

Infelizmente, nós, consumidores, ainda somos muito mal tratados, apesar de todos os avanços dos últimos 14 anos, quando entrou em vigor o Código do Consumidor.

Camilo disse...

Infelizmente, este tipo de "eqüivoco" não é exclusividade da Comgás. Eletropaulo que o diga. Peroba e Procon neles!