segunda-feira, fevereiro 09, 2015

Ecos do dérbi paulista

Foi um jogo de razoável para bom o dérbi paulista.

A rigor, em termos de oportunidades, foi igual, exceto pela falha do zagueiro palestrino Victor Hugo, que tem potencial e não deve ser crucificado.

Prass fez duas grandes defesas, em tiros de Bruno Henrique e Mendoza. Cássio fez uma, em cabeçada de Victor Hugo, e Walter outra, em chute cara-a-cara de Lucas. Em duas cabeçadas perigosas, Danilo e Victor Hugo poderiam ter marcado.

Claro que há uma diferença óbvia de padrão de jogo. O Corinthians tem sequências de bons trabalhos sendo aproveitados por Tite e Mano, Mano e Tite, sucessivamente. A equipe é praticamente a mesma da temporada passada, que foi boa. É um time que confia e acredita em seu trabalho e na sequência dele.

No Palmeiras praticamente nada tem sido aproveitado de uma temporada para outra e de 2014 para 2015 nada foi. Nada mesmo. É um time novo, com jogadores que ainda serão incorporados. Até equalizar condição física e conseguir padrão técnico e tático vai um bom tempo.

Fora isso, o Corinthians se preparou para jogar uma decisão em mata-mata de Libertadores e está num padrão físico superior, além da questão tática.

Individualmente, dois jogadores se destacaram: Danilo e Petros. Danilo é um dos jogadores mais inteligentes do futebol brasileiro, lê e entende o jogo como poucos e sabe o que precisa fazer. Frio, discreto e decisivo. Petros é mais explosivo, não tem a técnica de Danilo, mas mostra boa leitura tática e condição física e se destacou.

O Palmeiras mostrou uma dupla de zagueiros que é vigorosa e deve evoluir. Com Arouca o meio terá mais proteção e consistência, Cleiton Xavier pode dar poder de fogo ao meio-campo, assim como Valdívia, se ficar, o toque de criatividade. Não se pode julgar Dudu por um jogo. Falta um atacante que assuste a zaga adversária, como Guerrero. E o clube não pode repetir a burrada de 2014, que foi dar peso demais ao Paulistão e deixar de trabalhar a temporada. Talvez não seja um time para conquistar títulos imediatamente, mas certamente não passará sufoco se o trabalho for mantido.

O Corinthians seguirá sendo muito forte na defesa e se tiver em Jadson um armador mais consistente e ligado em todos os jogos, será candidato potencial a conquistas. Principalmente se mantiver Guerrero, seu melhor jogador.

3 comentários:

Wander Zampi disse...

Noriega,

Já envie está mensagem para outros comentaristas e vejo que você tem falado do cadastro de torcedores.

Para resolver, no primeiro mandato do Lula ele propôs o CADASTRO ÚNICO DOS TORCEDORES, E está ideia não foi pra frente porque não sei??

O torcedor que quer ir ao estádio ver seu time se cadastra e recebe uma carteirinha, só compra ingresso com ela e entra no esta mediante a apresentação.
Criou problema a carteira e bloqueada e o torcedor não pode comprar ingresso e está banido. Ponto. Simples mas não teve vontade política. Quero levar meus filhos no estadio!!!

Marcello Augusto Pereira Cunha disse...

Caro Noriega, procure alguma profissão totalmente diferente do futebol, hoje no clássico, você só falou merda parceiro. Caso queira debater futebol, conversa com o Neto da band, que vocês dois são idênticos. Muita merda sai da boca de vocês. Isso são palavras de quem sabe muito mais que você sobre futebol. Fica a dica.

Mauricio Noriega disse...

Marcelo Augusto Pereira Cunha, ufa! Mensagens como a sua me fazem ter a certeza que estou no caminho certo. Sua sabedoria só me ajuda! Continue assim. Fica a dica!