sexta-feira, julho 06, 2012


Palmeiras abre vantagem,

mas Coxa ainda está vivo



Mesmo dominado em boa parte do jogo, o Palmeiras conseguiu fazer 2 a 0 sobre o Coritiba, na primeira partida da final da Copa do Brasil, e leva para Curitiba uma vantagem que, se não é definitiva, é muito interessante.

O time paranaense, contudo, talvez seja hoje o mais forte mandante do futebol brasileiro, e mostrou, com a bola rolando, que tem mais conjunto e técnica do que o Palmeiras. A equipe paulista assumiu sua inferioridade técnica e jogou com grande espírito de luta. Agora, tem a vantagem do placar e um modelo de jogo que é mais adequado à capacidade de seus jogadores: atuar fechado na marcação, sem precisar propor o jogo.

O ponto negativo da partida foi a péssima arbitragem do goiano Wilton Pereira Sampaio. É difícil entender como um árbitro sem grande experiência é escalado para a final da Copa do Brasil. Sampaio inverteu faltas e simples cobranças de lateral, irritou os jogadores e errou muito mais do que acertou.

O lance do pênalti a favor do Palmeiras é discutível. Eu acho que houve a penalidade, porque na arrancada de Betinho, Jonas puxa o jogador, após tê-lo deixado avançar. Deixa de ser o agarra-agarra para ser um agarra mais forte da parte de um. Há opiniões diferentes.

O que não é discutível, é cristalino pelas imagens, é o pênalti cometido por Márcio Araújo em Tcheco, na segunda etapa. Na cara do juiz, que ignorou. Assim como um lance bizarro em que Maurício Ramos quase arrancou o calção de Everton Costa e sequer foi marcada a falta.

O time paranaense abusou das faltas, fez rodízio em Valdívia, e o árbitro também ignorou esse fato. Na soma de erros, o Coritiba tem razão em reclamar de alguns equívocos capitais, em especial o pênalti de Araújo em Tcheco.

O que sobrou de espírito de luta ao Palmeiras faltou em capacidade de finalização ao Coritiba. No primeiro tempo, quando encurralou o alviverde paulista, o curitibano perdeu chances inacreditáveis, a maior delas com Júnior Urso, que, egoísta, não deu o gol para Everton Ribeiro. Foi um pouco o resumo da história do Coxa como visitante na Copa do Brasil: cria mas não faz.

Quando sofreu o segundo gol, o Coxa acusou o golpe e saiu do seu padrão de jogo com base em velocidade e jogadas individuais dos velozes atacantes e meias. Passou a apostar no óbvio chuveirinho de Tcheco e no inoperante Lincoln.

O Palmeiras se fechou, seus zagueiros se agigantaram, e Maikon Leite perdeu um gol inacreditável, que poderia ter deixado os paulistas com uma mão e meia na taça.

O jogo de volta promete ainda mais emoções. O Coritiba é muito forte em seu estádio, atua com volume de jogo e confiança incríveis. Nesta Copa do Brasil venceu todos os jogos no Couto Pereira por pelo menos dois gols de diferença. Mas foi frágil fora de casa.

O Palmeiras está invicto na Copa do Brasil, e fez gol em todos os jogos nos quais atuou fora de casa. Seu melhor jogo na competição foi justamente como visitante, os 2 a 0 sobre o Grêmio, no Olímpico. Tem o gol qualificado como seu grande aliado. Como o Coritiba não marcou em Barueri, um gol palmeirense no Couto pode definir o título.

A única certeza é a de mais um grande jogo.

5 comentários:

Felipe Ribeiro disse...

Concordo com tudo o que você disse, Nori!!! Parabéns pelo trabalho.

Raphael Costa disse...

Nori! A ESPN mostrou que o segundo gol estava impedido sem contar que você também disse que não viu falta no lance que originou o gol.

Marcello disse...

Péssimo árbitro, mas esqueceu:
- o lance bizarro do calção puxado foi precedido por uma entrada violentíssima por trás, com o pé alto, se eu não me engano no J Vitor, que o banana deixou passar batido assim como você e o "engraçado" Milton Leite na transmissão (cada vez mais Chico Lang).
- o cartão amarelo para o Valdívia foi absurdo, mas para ele vale tudo, até uma gracinha do "engraçado" Milton Leite.
- o Coritiba teve boas chances no 1º tempo, nenhuma "inacreditável". A maior chance do jogo foi do M Leite.
- o Palmeiras foi mal no primeiro tempo, mas não correu perigo real no segundo.

Nori disse...

Raphael, vi a imagem, e me parece mesma linha, veja a perna do zagueiro do Coritiba aberta, mas encoberta pela meia verde do atleta palmeirense. É parar a imagem no momento do chute.
Abs

Anônimo disse...

perfeito nori.
melho comentarista do mundo
kaio silva seu fã,,,,,,,,,