sexta-feira, janeiro 28, 2011



Vascaínos, salvem o Vasco!

Ver time grande do futebol brasileiro metido numa crise como essa do Vasco me revolta. Porque é revoltante concluir que os times grandes do nosso futebol têm, na sua maioria, dirigentes pequenos. Muito pequenos.

Repito seguidamente que nenhum clube grande do futebol brasileiro sabe seu verdadeiro tamanho. Nenhum! Não conseguem se comunicar decentemente com seus torcedores, não exploram sua marca como deveriam e vivem pendurados em dívidas astronômicas. Mesmo tendo milhões e milhões de clientes fiéis.

A bola da vez é o Vasco. Um começo de ano tétrico. Uma ameaça no ar de rebaixamento moral para a segunda divisão estadual (que pelo regulamento não pode acontecer) que, espero, sinceramente, que não se concretize. Porque o Vasco dos verdadeiros vascaínos é enorme, muito maior que o Vasco dos seus dirigentes.

Confesso que alimentei esperanças e elogiei a eleição de Roberto Dinaminte para a presidência do Vasco. Pensei que haveria uma limpeza ética e de postura dos tempos de Eurico Miranda, cuja grande obra foi ter salpícado de antipatia um clube cuja história é linda.

Pois Roberto parece estar confirmando uma tese que defendo, a de que ter jogado futebol muito bem, como ele, não garante que alguém possa fazer bem qualquer coisa que não seja jogar futebol. Seja ela comentar, dirigir, treinar, empresariar, narrar etc.

O Vasco precisa de um tapa de modernidade. Em alguns aspectos é muito parecido com o Palmeiras. Ambos deixaram há muito tempo de ser times de colônia. São equipes de expressão internacional e muita torcida espalhada pelo Brasil. Mas infelizmente tem gente que acha que Vasco e Palmeiras ainda são apenas de portugueses e italianos e seus descendentes, o que apequena o pensamento e o horizonte dos clubes.

O Vasco tem nos vascaínos a solução para seus problemas. Nos verdadeiros vascaínos, não dos que usam e abusam do Vasco.

É preciso tirar a poeira do clube. Sempre que vou a São Januário fico admirado com a beleza da arquitetura do estádio, suas histórias, o conjunto aquático. Mas também fico boquiaberto com o lamentável estado de conservação do patrimônio histórico.

O Vasco não é Eurico Miranda. O Vasco não é Roberto Dinamite. O Vasco é de muita gente, faz parte da cultura brasileira. Não pode ficar escravo dos caprichos de dirigentes e de jogadores com pouco ou nenhum compromisso com coisa alguma, como sempre demonstraram ser Felipe e Carlos Alberto. O Vasco não pode ir a campo com um time tão fraco como tem ido.

Enfim, está no espírito de grande clube que foi, é e sempre será a recuperação.

Tenho muitos e grandes amigos vascaínos que estão com a alma machucada. Mas eles sabem a solução, o verdadeiro vascaíno sabe.

Enquanto não se libertarem das armadilhas de Conselhos Deliberativos presos ao passado e reféns de gente que bate no peito e diz que foi isso e aquilo, que é filho e neto de gente que foi isso e aquilo, os grandes clubes brasileiros seguirão assistindo a lamentáveis armações de dirigentes se perpetuando no poder.

Só os verdadeiros torcedores sabem o tamanho dos grandes clubes brasileiros. 

5 comentários:

Samuel de Oliveira disse...

Com todos os defeitos que tem, sinto saudades do Eurico Miranda... e nem sou "tão" vascaino assim...

Vic Carnevale disse...

Parabéns nori...falo td...o vasco tem uma historia linda que nao pode ser comando por pessoas que parecem, estão de brincadeira...é triste, mas o vasco vai mudar, tem q mudar...eu acredito...

www.palonedoro.blogspot.com.br
abs!

Vic Carnevale disse...

O Vasco é muito grande por tudo que esta acontecendo...vergonha...
confesso que tive a esperança de qd Dinamite chegou, tudo iria mudar...
mass como vc disse...ele foi um grande jogador de futebol, apenas isso...é claro que tudo isso nao é apenas culpa dele, eurico tb tem peso nisso que esta acontecendo...mas...enfim...torcer...e apoiar...nos vascainos nao podemos deixar nosso vascao do jeito que esta!
Parabens pela postagem, Nori...

www.palonedoro.blogspot.com.br meu blog...

Anônimo disse...

A história do Vasco é de longe a mais linda de um clube de futebol no Brasil e sem dúvidas está entre uma das mais botitas do mundo.

O problema é que sabe-se lá o porque a imprensa credenciou um ex-chutador de bola como tábua da salvação para o Vasco.

Como se o fato de ter chutado bola fizesse dele um administrador perfeito.


A massa cansada de sofrer na Era Eurico caiu no canto da sereia e paga caro por isso.

Pobre Vasco.

André Monnerat disse...

Noriega,

Não conhecia esta informação de que o Vasco não pode, pelo regulamento, ser rebaixado no Estadual.

Fui procurar isso no regulamento do campeonato, disponível no site da Federação, e não encontrei. No capítulo que fala do descenso, não há qualquer menção a algum clube estar isento desta possibilidade.

Você está enganado, ou há algo que eu não encontrei que realmente protege os clubes grandes do Rio de caírem para a Série B do Estadual?

(Só pra constar: sou Flamengo, mas não acredito nem um pouco na possibilidade do Vasco chegar ao final do campeonato lutando pra não cair. Por mais que o seu time, hoje, realmente seja muito ruim.)