terça-feira, fevereiro 07, 2006

OS FANÁTICOS

Tabalho com esporte, na maior parte do tempo com futebol, então é natural que esteja em contato com o fanatismo, de uma forma ou de outra.
Perambular por estádios do Brasil oferece uma rara oportunidade de analisar os torcedores e suas paixões, seus comportamentos.
No Norte e no Nordeste acho que ainda vemos uma paixão genuína e menos virulenta. É divertido ver um jogo em Belém ou Recife, Fortaleza. Na Bahia, antes da era de terceira divisão, era comum ver torcedores de Bahia e Vitória juntos em um clássico.
Triste é constatar que quanto maior o time, menor a compaixão. Nos grandes centros já não se torce, se odeia, se provoca. Se mata.
Imagino o que seja essa provocação elevada a enésima potência que nos deixe hoje à beira de um conflito religioso sem proporções.
Por isso que não entendo como os fanáticos possam ter dominado duas coisas tão belas como o esporte e a religião.
Quem sabe no futuro as coisas melhorem.

Um comentário:

Vitor Costa da Silva disse...

Acho ruim é que hoje nos estádios, tem mais violência do que tudo. Tem torcedor que não vai ver o jogo e sim brigar.