sábado, dezembro 16, 2006

O MUNDO


Sao quase duas semanas longe de casa, a saudade da familia bate forte, mas, antes da final de hoje, da tempo de relatar algumas impressoes finais sobre o Japao.
Primeiro, pra quem nao conhece: eh longe, muito longe. O aviao cruza os ceus a 900 km/h e vao ficando para tras a Europa, a Asia, paises, culturas, um mar de gelo.
Segundo: eh diferente, muito diferente. Prosaicas nuances culturais, tais como comer salada e peixeno cafe da manha. Ou ter um peixe ainda vivo enfeitando seu prato depois de ser devidametne fatiado em sashimis. Uma vontade indestrutivel de ajudar, de ser prestativo e fazer bem feito.
Terceiro: eh rico, muito rico. Nao se ve carro velho no Japao e a capacidade de consumo chega a ser irritante. Das 10 da manha aas 22 hs o japones compra. E muito.
O futebol tem seu espaco, mas o assunto do momento e o beisebol. A ida do arremesador Daisuke Matsuzaka para o Boston Red Sox, por um negocinho de 105 milhoes de dolares.
Quarto: o respeito pelo ser humano e pelo idoso salta aos olhos, em especial pra quem e brasileiro. Aqui ninguem fica velho, mas envelhece, com dignidade e sabedoria, preparando-se para a proxima etapa, a transitoriedade da materia.
Licoes que aprendi.

3 comentários:

Daniel disse...

Interrrrrrrrrrrrrr!!!!!!

Marcelo Denser Monteiro disse...

Sem dúvida Noriega, a oportunidade de cobrir esta final pode ser explicada, sucintamente, em duas afirmações:

1) é um ganho profissional excepcional, cobrir uma final de mundial de clubes deste porte.

2) é um ganho pessoal fora do sério, ter a oportunidade de conhecer um país tão sério como o Japão.

Parabéns!

josé henrique maestro disse...

Missão cumprida, Noriega. E bem cumprida, além do PÉ QUENTE. Grande 2007 pra vc e familia.